62351156_857684474616755_2236675988295516160_n_edited.jpg
00:00 / 05:24

LES ÉTOILES

Rolando Faria, Rio de Janeiro, RJ, 1951-2021
Luiz Antonio, São Paulo, SP, 1946-2002

Em 1974, Rolando Faria e Luiz Antonio formaram a dupla musical Les Étoiles em Barcelona, alcançando reconhecimento internacional ao se mudarem para Paris. Ao longo da carreira, gravaram diversos discos, participaram de programas de tv, filmes e espetáculos e dividiram o palco com grandes artistas, definindo a percepção da cultura brasileira na Europa. Gravaram o último álbum em 1985, porém seguiram fazendo apresentações ocasionais na década de 90, até pouco antes de Luiz Antonio falecer.

publicado em 25/11/2021

10386980_647892195293424_2655096402947497376_o_edited.jpg
les etoiles_edited.jpg
10463739_647892111960099_3626800881415674174_o.jpeg
44536563_711809735870897_7332942349024100352_n.jpeg
44643421_711809899204214_4238013104782311424_o.jpg
44776269_711809465870924_580573140539670528_n.jpeg

Rolando Faria nasceu em 15 de agosto de 1951 no Rio de Janeiro, cinco anos depois de Luiz Antonio, nascido em 31 de outubro de 1946 em São Paulo. Rolando sempre se interessou por música e participava desde jovem nos encontros musicais do Movimento Artístico Universitário. Os festivais eram ligados ao programa Som Livre Exportação da Globo, onde surgiram vários dos novos talentos dos anos 70. Com 22 anos, chegou a gravar um compacto, mas foi convidado a viajar para a Europa para participar dos álbuns Brésil 72Central do Brasil. Além de cantar, também era violonista e arranjador. Depois da turnê acabar, decidiu ficar de vez em Barcelona, onde conheceu Luiz Antonio. Com a carreira um pouco mais avançada, Luiz havia participado do grupo Aquarius e de álbuns e turnês de Dom Salvador e Rildo Hora. Em 1974, após serem convidados a se apresentarem juntos pelo dono de uma boate, começaram a dupla. Desde o início, adotaram um visual muito bem definido, que ressignificava resquícios da Tropicália e de grupos como Dzi Croquettes e The Cockettes, onde Sylvester começou. Apesar de Luiz Antonio usar maquiagem pesada, unhas longas, turbantes e chapéus o tempo todo, Rolando só se vestia assim para se apresentar, usando roupas discretas no dia-a-dia. Os dois se encontravam em exílio voluntário. Naquela época, muitos brasileiros, uruguaios, chilenos e argentinos movimentavam o cenário cultural europeu, questionando os regimes ditatoriais de seus países de origem.

Anotação 2019-11-16 224208_edited.jpg

Dois anos depois, mudaram para Paris e foram batizados de Les Étoiles pelo próprio público. Lançaram o primeiro álbum: Meu Coração é um Pandeiro ou…, interpretando Milton Nascimento em Viola Violar e Carmen Miranda em Chica Chica Boom Chic. Rolando conta em entrevista para o Lampião da Esquina: "Quando chegamos em Paris, a música brasileira não estava bem definida. Os mais intelectualizados achavam que era protesto e o grande público pensava ser carnaval. Muita gente não gostava e passou a gostar por causa da gente." Em 1977, interpretaram a trilha sonora do filme Comme la Lune, primeira que participariam ao longo dos anos. Nesse ano, também produziram o segundo disco, Piratas do Sentimento. Mesmo só cantando em português, passaram a abrir shows de grandes cantores e conquistaram uma legião de fãs com sua originalidade sonora e visual. Um dos momentos de maior destaque em suas carreiras foi a semana de 14 a 20 de abril de 78, quando France Gall os convidou para se apresentarem nos intervalos de seu programa de TV. O Made In France era gravado no Teatro Champs-Elysées por uma equipe só de mulheres e alcançava uma das maiores audiências do país. Mesmo não agradando os diretores da emissora, cantaram Plus Haut Que Moi, versão francesa de Maria Vai com as Outras.

271046_133020986780550_3296182_n_edited.jpg
11026174_906717026053633_1160145014202201908_o_edited.jpg
18814311_423507668034440_8427435300809002416_n_edited.jpg
62144214_857684547950081_4737793525322612736_n_edited.jpg

Em 1980, lançaram um compilado ao vivo com versões de Gilberto Gil como Eu Vim da Bahia e Logunedé. No ano seguinte, finalmente passaram a vender no Brasil. Les Étoiles - Rolando & Luiz Antonio era um “melhores momentos” dos 2 primeiros discos e foi o único a ser lançado comercialmente por aqui. Em Paris, também continuavam a se apresentar regularmente no clube Discophage da Rue des Écoles, um dos mais frequentados pela comunidade brasileira. Em 1984, marcando o aniversário de 10 anos do duo, nasce o Sina de Ciganos, que tinha letras compostas por amigos do Movimento Artístico Universitário. Porém, por volta dessa época, foi se esgotando o fôlego de continuar no mercado fonográfico europeu, gravando e se apresentando com o projeto. Com as dificuldades da relação e sem uma gestão de carreira muito eficiente, foram perdendo muitas oportunidades de shows. Isso se agravou com a volta da democracia no Brasil, que possibilitou que artistas como Chico Buarque e Milton Nascimento voltassem a transitar pelo cenário musical mundial, deixando aqueles que tocavam suas carreiras de forma mais independente, esquecidos.

10448560_647896915292952_2926154421105827491_o.jpeg

No final de 85, foi gravado o álbum de despedida, Live Au Forum. Após o lançamento, dedicaram-se às carreiras solo e faziam shows juntos ocasionalmente, conforme pedidos dos fãs. Em 21 de abril de 2002, Luiz Antonio, que enfentava graves problemas de saúde há algum tempo, morreu aos 55 anos. Rolando continuou se apresentando e dando aulas e workshops de música brasileira em Paris e Marselha. Entre os anos de 2013 e 2015 veio regularmente ao Rio de Janeiro para temporadas de shows. Entretanto, seus problemas de saúde o fizeram encerrar a carreira discretamente. Faleceu em Paris em 29 de abril de 2021, em decorrência de diabetes. Hoje, é possível encontrar no Youtube todos os álbuns da dupla e algumas das apresentações para a televisão francesa. Apesar de praticamente desconhecidos no Brasil, a influência de Les Étoiles ainda pode ser sentida, uma vez que foram os responsáveis por escancarar portas para uma geração de artistas que recusava o lugar convencional de sonoridade e estética. Com apenas nove anos de carreira, mas grande produtividade, projetaram suas vozes e arranjos mundo afora, não só ressignificando o repertório da MPB, mas também marcando um novo caminho para uma perspectiva global de arte brasileira.

10298559_647894661959844_9035062594607282077_o_edited_edited.jpg
10463072_644706332278677_8573766414026318897_n_edited.jpg
27656965_534448760273663_6850164005048603571_n_edited.jpg
289738_2575021981197_464294575_o_edited.jpg
61193076_849709278747608_6422394447455059968_n_edited_edited.jpg

Discografia:

1976: Meu Coração é um pandeiro ou…

1977: Piratas Do Sentimento

1979: Live at the Discophage

1981: Les Étoiles

1982: La Baleine e My Sandwich

1984: Sina de ciganos

1985: Les Étoiles au Forum des Halles

1991: Tutti, com a National Jazz Orchestra

Referências de Pesquisa:

Les Étoiles, Wikipédia Francesa

Lampião da Esquina, edições 18 e 37, publicadas em 1979 e 1981

Luiz Antonio e Rolando Faria, Les Étoiles Tribute Page, Facebook

Frequência Modulada. "Les Étoiles: estrelas ofuscadas da música brasileira", 2018

ROSA, Garcia. "Les Étoiles: Estrelas pouco conhecidas mas que brilharam muito", 2020

TENNY, Echo. "O cantor brasileiro Rolando Faria, integrante da dupla Les Étoiles, faleceu aos 69 anos", 2021

FIDALGO, Sabrina. "Conheça Les Étoiles, icônica dupla brasileira, que abriu as portas da Europa para a MPB". Vogue Brasil, 2021